O caminho percorrido

Atualmente, a casa se transformava em instrumento de tortura, não apenas pela quantidade de escadas, mas também porque amargava a saudade… Fisicamente não era mais possível caminhar.  Todas as direções era sofrer. Precisava enfrentar quinze lances de escada à direita, e ou seis lances a esquerda. Para chegar à oficina, era preciso descer mais vinte lances de escada. Quando chegava a casa, era preciso carregá-lo nos braços, os degraus de acesso eram estreitos. Enfim, enfrentar escadas era o seu calvário: o que a casa lhe oferecia agora? Mesmo assim fazia questão de morrer ali, como se esta teimosia fosse o consolo, e não uma batalha legal.

 

 

 

Foto: edinilson karnopp

O caminho percorrido

2 comentários sobre “O caminho percorrido

  1. …a casa se transformava em instrumento de tortura, não apenas pela quantidade de escadas, mas também porque amargava a saudade…Todas as lembranças ruim, nos fazem reviver sofrimentos, e sentir gosto amargo do que foi misturado à lembranças do sabor doce que teimamos em guardar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s