Mala pequena

Dia em abril com este abril de brilho. Sol. Quietude. Viajei dois dias para chegar ao chalé. Verde. Azul. Marrom. Bege. Tem água, árvores, areia, terra. Flores. Abri a mala pequena e peguei lápis, caderno. Antes empilhei os livros, tirei os manuscritos, também o bloco de croquis. (Depois, passarei as cores) Descalço os sapatos e levanto a saia para ter as pernas ao sol. O mar está naquele ir e vir tão parecido com o ritmo da vida. Desenho teu rosto. Acerto, menos a boca. Não é cheia…/ou é muito mais carnuda. Tem um sombreado duro. E eu te vejo empertigado, cerimonioso, inquieto. Aflito. Feliz. Vens ao meu encontro. Escolhes as cores das camisas, deixas de lado aquela bermuda que eu gosto, o que importa, chegas. Ou te olhas no espelho? A vaidade, às vezes, se perde na incerteza… Posso estar na tua vida? O que é mesmo que significa estar na vida de uma pessoa? Tu podes me explicar? Ah! Oxalá chegues logo. Elizabeth M.B. Mattos – abril de 2013 – Torres

2 comentários sobre “Mala pequena

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s