Amarelas amoras azuis

Se amoras azuis existissem! Amoras verdes, pretas…

Existem as vermelhas.  Por que não amarelas?  Uma cor uma fruta. Uma árvore ao acaso do ocaso pra rimar. Inventada, remendada, refeita. Retalhos tricotados no tédio conhecido.

Brancas folhas digitadas! Ou agendas preenchidas com tinta azul, e roxa também. Tinta verde. Canetas preciosas que se escondem em caixas nacaradas… O pote chinês naquela mesa embaixo da janela. Da janela das flores, e tantas flores! E amoras, todas elas amoras azuis e amarelas …

Ora! Agora vejo o mar de Ipanema. Do Arpoador, do Rio de Janeiro em azul.  Elizabeth M.B. Mattos – junho 2013 – Rio de Janeiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s