Pois é

O amor se repete no dizer, não no sentir. O amor se repete na palavra… Não na voz. Assim mesmo se repete… E fica-se assim a procurar, querer, e sem encontrar naquela medida certa de amar o amor, ao nosso jeito.

Pois é!

 “Amor é um fogo que arde sem se vê;

É ferida que dói e não se sente;

É um contentamento descontente;

É dor que desatina sem doer;

 

É um não querer mais que bem querer;

É solitário andar por entre gente;

É um não contentar-se de contente;

É cuidar que se ganha em se perder; “[…]

Luis de Camões 1524, Lisboa (Portugal) /1580

Um comentário sobre “Pois é

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s