Tempo circular

Circular. Sala circular. O novo se integra. A diferença se mistura. Cores e formas. A galeria de esculturas. As telas abrigam silenciosos fantasmas. Aprisionados. Opressão. Na imobilidade, a manipulação. Prepotência.

Agora o cheiro do café. O ferro, a madeira, as salas pretas, e a falta de sol. Que mundo é este? Controlo o desacerto. O susto. Desequilíbrio. Pílulas arranham a garganta. O velho com a pele em escamas arranha minhas mãos. Sensação esquisita.  As grades fazem sombra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s