Esplendor da VIDA

O amor acende o que há de melhor …  Passa por massacres assassinatos  barbáries. Limpa este homem vassalo do veneno apequenado na covardia do poder. Esta energia de transformação que alimenta a vida já é recomeçar nascer de novo estar hoje aqui e agora eu. Não importa o cabelo branco, a história desta estória diz explica tem o sentido de estar vivo na vida, e beijar beijar beijar  o primeiro último amor que sobreviveu ao tempo, a guerra, aos tropeços e as ausências … este último primeiro amor desabrocha no esplendor da vida. Então, eu me debruço no vento, caminho na areia, e mergulho neste verde aguado do mar vestida de azul, depois, encho as mãos com as conchas da praia. E com o pote cheio de amoras volto ao livro marejada abençoada pelo teu amor.

kafka

“E sua boca, a fala, que é como um banho, como ele a impregna de tranquilidade. Nenhum homem havia olhado para ela daquela forma, ele vê a carne, a agitação e o tremor sob a pele, e isso a satisfaz”. (p.23)

“Estão sentados na praia e contam histórias de esperas. O Doutor também esperou metade de uma vida, ao menos é essa a sensação quando olha para trás, as pessoas esperam e não acreditam que mais alguém virá, e de súbito é exatamente o que acontece. “ (p.25)

“Agora acredita. É possível acreditar em beijos? Ela quer saber o que ele acha, agora, nesse momento, se ele pensou nisso. Não, não diga, ela sussurra, embora não fique claro por que está sussurrando. ” (p.27)

O esplendor da vida O último amor de Kafka, Michael Kumpfmüller, LPM Editora, 2016

unnamed-9-jpg-maravilha-de-foto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s