teu jeito de dizer

luiza e danúbio

“ … expressão dos olhos da mãe, … o mundo de dentro que ela tem … de que dentro ela veio … tu és o amor em forma de pessoa” (tu/você)

Um texto se derrama no outro. Imagens a conversar sem voz. Estar estou estamos ( … ). Claro que choro, choro porque sinto saudade. Saudade indefinida da possibilidade do podia ser que se anunciou e se apagou, … não estás aqui não estás comigo, ainda não cheguei … não terminou. (…)  Não estou no teu olhar porque não estamos tu e eu juntos.

Eu te conto:

Sigo o caminho da lagoa. Hoje de manhã azul, e o dia era azul, muito azul. Agora venta, venta bastante. …, sinto vontade de estar, de voltar ao começo do ano, ao começo de amar, … agora é o que ficou, o fim, o ponto. História acabada. Tu e eu sem sermos nós. Despedida que se estica se alonga se espreguiça, e chora. O vento leva a voz, leva lembrança, leva tudo. Carrega areia folha, este vento. Liza Beth Elizabeth M.B. Mattos – novembro de 2017 – Torres

 

luiza luiza tão luiza

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s