…, um ano tempo grande enorme e outro curto mínimo tão pequeno tempo!

…, já passou um ano, um gosto estranho na boca. Um ano é tanto, e tão pouco! Eu ainda  aqui, imóvel, nenhum passo; ameaço, mas não caminho, estou, mas não estou. Que falta de coragem tenho de avançar! Que medo! Quero o que não pode ser, o impossível, ainda eu quero porque é impossível, intransponível. Era tão natural e fácil e agora e … caminhei sorri, eu estava tão feliz! tão segura! Escolhi errado, ouvi errado, pensei errado. Não adianta chorar. Faz um ano. Elizabeth (assim ele dizia)  Elizabeth Menna Barreto Mattos! Tão efêmera é a vida! Tudo era. …, que estranho gosto  na minha memória antecipada! Não quero apagar, quero transpor, pular, não quero esquecer, quero voltar para mim mesma. Por que me aventurei e saí de mim? Eu fiquei para trás … Torres – 2018

 

corpo esticado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s