lugar-morada

Estacionada dentro de mim mesmo imagino a velha torre na praia …,  onde o prazer de sobreviver tece encontro particular entre um copo de vinho, uma colher de doce de leite, e um ensopado prazer de estar vivo. Este metódico e módico ato de respirar  pode ser perfeito se o mar for testemunha. O mutante indecifrável prazeroso perigo de águas salgadas. Assim esta torre tem um posto/lugar diante do mar. Morada ideal. Própria a um sonhador de amor. Terei permitidas e proibidas preliminares do prazer a cada amanhecer. Manhãs preguiçosas e abusivas … depois,  depois olhar o mar ou caminhar. Enterrar os pés na areia num arrepio continuado. Águas geladas que acordam  a vida. Elizabeth M.B. Mattos – Abril de 2018 – Torres

Eu Floripa tênis e azul

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s