vigília

Desta insônia do frio escrevo. Do sono à vigília. Se houvesse resposta … se eu pudesse fazer a mágica seria covarde risonha sem ambição. Esconderia esta orgia. Não posso/ não consigo voltar para mim. Enfeitiçada: sempre que me visto imagino que estás a me olhar. Mar agitado perigoso no meu corpo. Desejo ardente estranho. Que linhas coloridas se estendam neste carnaval de amar. Elizabeth M. B. Mattos – junho de 2018 – Torres

cartas do pai espalhadas na minha vida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s