o amor não bastava

“Talvez ele não quisesse que ela o visse velho. Talvez ele não quisesse vê – la velha. Talvez a lembrança do que ele não tivera a coragem de agarrar fosse esmagadora demais. Talvez ele a tivesse enterrado fundo demais e não conseguisse mais exumá – la, e o horror de estar com a condessa Olenska e não sentir mais o que sentira fosse demais para ele suportar. […]  Ela estava imobilizada como Newland Archer ficara imobilizado, a passagem dos anos a havia bloqueado, e, muito embora uma expressão de amor tomasse conta de seu rosto cada vez que o nome dele era mencionado, ela não conseguia agir sobre o que sentia. Para ela era mais real sem ele do que ele voltasse. Então ela nunca respondeu às suas cartas, nunca telefonou para ele e nunca o viu nos dezesseis anos que lhe restaram. […].  Às vezes, o amor não bastava. ” (p.548-549) Salman Rushdie  Memórias

Envelhecer: desânimo estarrecedor. Obstáculo agressivo. O mistério na intimidade das pessoas ou a incompreensível sobrevivência do amor no coração da ausência nunca será esclarecido se não houver confronto. Hoje a sensação, ou certeza de derrota … Uma pergunta sem resposta. Elizabeth M.B. Mattos – outubro de 2018

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s