coisas do tempo no tempo presente, ainda

A vida se carrega / leva, sei lá qual o verbo, mas vai inteira no todo deste tempo de sempre – hoje / agora. E apertado, pequeno / e tão enorme ele segue tanto! Se estou presa nesta coisa de lembrar, nestas franjas, entre janelas e serra, no farol lagoando, estou também estacionada, mesmo atenta, divagando sem história, na estória do jornal, da inquietude deste tempo virado… Que sorte tive! Que vida tive! E engraçado este contar velado, nunca escancarado mesmo quando espraiado, escondido e exibido.

Contar a vida, a sua, ou a minha vai ser sempre invadir a deles. Conversas salvam, aquelas conversas do caminho, aqueles encontros estranhos, e as perguntas fora do lugar. Tantas! Elizabeth M. B. Mattos – fevereiro de 2020

adoro esta foto.jpgtormentos 2.jpgamoras azuis.jpgWIN_20200209_07_02_37_Pro.jpgjoana e eu separação.jpgadoro esta foto pos separação 24 anos ou 25.jpg

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s