raiva

não aparece o erro, fica mascarado na acusação insistente, mesquinha, virulenta: não a política, mas a voz vingativa, ou magoada… a história tropeça incomodada

por que a raiva se apresenta antes, antes, antes das palavras se acomodarem, antes de ser já ela se exibe virulenta e contamina,

quanto tristeza e confusão!

quanta raiva no meio de um café, ou num discurso, no meio das flores o despetalar precipitado sem motivo… ninguém pergunta, a negação se espalha caprichosa, de chorar!!!!!!!!!!! Beth Mattos abril de 2020 / quanto vírus de prontidão!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s