número singular de pessoas falando sozinhas nas ruas

“Há qualquer coisa errada com elas. Obviamente não conseguem viver suas experiências inteiramente, ou não conseguem assimilá-las, e pecisam livrar – se dos restos. Assim, penso eu, surge também uma necessidade exagerada de escrever. Talvez não seja isso tão nitidamente no ato de escrever, porque havendo talento e prática surge algo que supera de longe as motivações iniciais; mas na leitura se reconhece sem dúvida alguma: praticamente ninguém mais lê hoje em dia, todo mundo só usa o escrito para liberar de maneira pervertida, através da aceitação ou da rejeição, seus próprios excessos. (p.298)

[…] A mentira salta aos olhos. Todo o nariz humano cheira imediatamente o doce aroma da independência, hábito de comando, hábito de escolher sempre o melhor para si, o leve desprezo pelo mundo e constante e consciente responsabilidade pelo poder, que nascem de uma renda certa e volumosa. Percebe-se pela aparência de uma pessoa dessas que ela é nutrida e diariamente renovada por forças selecionadas no mundo inteiro. O dinheiro circula em sua superfície como seiva numa flor; não há empréstimo de qualidades, conquista de hábitos, nada que seja indireto ou de segunda mão:mas destrua-se a conta bancária e o crédito, e o homem rico não só não terá mais dinheiro, mas no dia em que se der conta disso, será uma flor murcha. […] Portanto, a riqueza é uma qualidade pessoal, simples, que se destrói quando decomposta. Mas o efeito e as funções dessa rara qualidade são extraordinariamente enredados e exigem força psíquica para serem dominados. Só gente que não tem dinheiro imagina a riqueza como um sonho; pessoas que o têm, em todas as oportunidades em que encontram pessoas pobres, afirmam que ele é um grande incômodo. […]

Outra dificuldade não pequena para as pessoas ricas é que todas as pessoas querem dinheiro delas.”(p.299-300) Robert Musil O HOMEM SEM QUALIDADES

Todas as questões são complicadas / questionadas, amplas, escritas, não faladas, nem sempre lidas… Escrever parece uma grande e boa África, mas não tenho dinheiro, nem oportunidade, nem lógica, nem rumo… Como escrevi, vai tudo muito, muito, muito devagar e eu sobrevivo… Agora, sem o sonho, ou tão mergulhada no sonho que o sonho se misturou com a vida: sou eu em ritmo de espera, estou falando sozinha, na rua, no Amoras, em casa, ou pela janela. E as falas são idiotamente as mesmas perdidas palavras da esperança. Apenas elas e eu, admiradas com o poder / o poder / o poder… Elizabeth M.B. Mattos – janeiro de 2023 – Torres um planeta que resiste ao rasgo da lógica, ainda tem água no rio e no mar, mas o mesmo perigo de contaminação, então, cuidado com a seca e importa cozinhar com água mineral. Sobreviveremos a mediocridade? So bre vi ve re mos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s