51

Escrever para contar / dizer / fixar o que nunca aconteceu, nem acontecerá e está ali, derramado diante dos olhos como a nossa experiência, a vida que se alarga, “vida” no sentido narrativo…, pois é assim, escrever: derramar. A infância, bem como a memória, fontes de erros, enganos, ilusões. A imaginação é descaminho e confusão. Dor e envelhecer perfumam o agora, com um colorido inusitado, cheio de sol, sol de verão. E nada altera o sentimento de pertencer / depois perder / doer e depois doer / doer. Beth Mattos – janeiro de 2023 – Torres

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s