XIX -19 acordes

                                                I – Primeiro movimento

Não deixá-lo cair. Inesperado movimento. Tropeçou. O corpo se inclinou na minha direção, solto. Eu o abracei. Olhos azuis. Mãos geladas. Esticar  o corpo modificou olfato, tato. O corpo magro, no meu abraço. Beijei o pescoço ousando. Caminhamos de mãos dadas, depois ele me abraçou … Bizarro e natural. Saímos do Museu. Atravessamos a passarela. Cidade vazia. Centro de Porto Alegre. Uma hora da manhã. O velório duraria ainda toda a noite. Apertei meu corpo contra o dele. Caminhamos pelo viaduto, encontramos  … Chegamos. Rua Santo Inácio deserta.  Antes de abrir a porta nos olhamos, nos olhamos na intimidade da exaustão, da tristeza. Estupefatos, cheios de estranheza. Nossas bocas se tocaram. Tinha os lábios gelados. Decidira tudo sobre o velório,  a máscara. E não dormia já faz um dia… Estranho querido! Queria embalar o corpo dele. Desci do carro com frio.  Nos vemos em Torres, ele disse. Anotei telefones e endereço. Espera por mim . Vou esperar. Sorri. Entrei na casa da minha irmã! Exausta!

                                              II – Segundo movimento

 Ainda te amo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s