PATY DO ALFERES

“Um relato simples e sincero de sua vida, e não apenas o que ele ouviu da vida de outros homens; o mesmo tipo de relato que ele enviaria de uma terra distante a seus parentes; pois, se viveu com sinceridade, deve ter sido numa terra distante de mim. “(p.17) WALDEN de H.D. Thoreau

c-postal-paty-do-alferes-praca-da-estaco-ref231_MLB-F-3718299814_012013

Calor, também silêncio. As árvores acompanham um leve deslocamento de ar.  O verde cobre a montanha! Mata Atlântica invadida. A beleza se explica pela simplicidade. Sem pretensão o céu azul conversa com a copa das árvores.

Calor, tanto, muito calor. Este excessivo calor adormece o dia. Espaços abertos na mata: desenho do homem que se apossa da terra. Palmeiras, coqueiros exóticos. O jambeiro se apruma solitário seguindo uma poda de pinheiro. A terra se curva ao domínio, ao desejo, a cobiça. Como é o relato manso, sincero de uma vida? O que exatamente temos para contar que seja particular?

Porta-janelas escancaradas pro verde entrar. Elizabeth M.B. Mattos  Paty do Alferes RJ

 

images

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s