A mesma coisa

Sofro no calor. O calor sai pela pele, transforma, e se remexe no corpo. Estranhezas e prazer. Vai-se uma estranheza, encontra-se um afeto, já desafeto, no tempo tudo se transforma, desmancha-se no ar…  Nós nos perdemos nos abensonhados livros que nos abraçam, desgovernados. Hoje de manhã, depois das trovoavas, do parabéns, café e pão com manteiga. Chuva e sol.  Finda a conversa cinza de tantas discussões climáticas volto à livraria pra buscar aqueles títulos com quinze por cento de desconto, como o prometido a cada dia quinze do mês.  Enfrento a pouca sombra, mas vou contando amoreiras, pitangueiras do pomar circular da lagoa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s