Chuvarada de ideias

Já começa o deslumbramento do exílio, uma descoberta, um abismo, uma fluidez, dispersão espiritual. Lágrimas. Dor. Um suco amargo, necessário. Recomeçar. O remédio existe! Este velho remédio de se debruçar sobre uma folha de papel como se nela já estivesse escrito o essencial em letras esfumaçadas, acontecimentos do dia: basta recobrir as letras, feito criança aprendendo caligrafia. Como a chuvarada do verão quero fazer depressa…É preciso aprender a vida, difícil! Aquela braçada de hortênsias, um nome novo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s