Aborrecido odor

Odor aborrecido, insistente. Se você fosse absolutamente transparente… jasmim o seu abraço! Azedo esquisito, presente na tua presença. Beijo tem gosto. A beleza rasga, atravessa o cheiro de gente, de pessoa, de homem, de criança, de mulher. Massacre. Posse, violência. Vendas. Facões. Correntes. Intolerância pelo chão. Poros abertos! Suor fechado, trancado. Sinto. Recuo.

Se não fosse dito, ou falado. Apenas o suave cadenciado, manso da sua voz. Passos miúdos. Corpo leve. A pequena morte agônica. Triste. Inodora a vida, a morte.

Esta quantidade enorme de dobras. Gordura, excesso. Qualquer gesto, um transtorno. De repente respirar pode ser assim aborrecido, insistente. O olhar se debruça, volteia, rodopia, abre e fecha inúmeras vezes as persianas pesadas. Luz. Mais, muito mais do que a luz, sombras.

Um ranço de fritura, bife, ou frango? O chocolate grudado no fundo da panela. Bananas fritas com muito açúcar.

Os talos destas flores… O cheiro avança colorido através do vidro. Fedorento, estranho odor aborrecido, insistente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s