mutações

Ansiedade engasgada. Sair, ou viajar, ir. Angustia fechada, trancada. Não vou. Não consigo dominar este não ir…

Desapego da coisa pode ser fácil, mas da palavra, do sentimento, não consigo. Lenta, aflita, escorrego. Então escrevo… Esbarro no livro, na música. A desordem aumenta. Mala aberta.  Fotos, o livro de

ITACI MUTAÇÕES, o jardim da vida

ArquivoExibir

Pessoas:

Camila Matarazzo escreve: “Sombras, formas, galhos secos, folhas mortas. Tudo depende de como você vê… Da força, da atitude de quem olha. Se você for capaz olhe mais fundo; perceba as veias pulsando. A luz se expandindo. Acredite. É possível transformar.” Imagem de borboleta.

Interrompo a tarde. Entardece cinzenta. Folhear o livro me acorda: Paulo Hecker Filho diante da foto: talos da roseira de Itaci.

“As coisas.

As coisas,

que dignidade!

Não falam.

Então escrevo, transcrevo. Volto para a mala aflita.

É apenas  mais um ir… Elizabeth M. B. Mattos julho de 2019 já com vento morno, amanhã a chuva…

4 comentários sobre “mutações

  1. Palavras inteligentes não forçadas ,porém cheias de vida!! Repletas de sentimentos mostrando a cultura de quem escreve . Eu adoro leituras assim dizem tudo com poucas palavras ,iluminam , abrindo brechas para pensarmos!… Lindo !…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s