Lara Valentina

Verso  como Açoite

“Não fosse o estrondo

não teria acordado

com o açoite desse verso.

É o som do verso que me fere

ou a imagem tão antiga que me engasga?

Já é dia quando sou atacada

indefesa na cama

ou é a luz de cabeceira que me cega:

acabo de deitar e vem o estrondo

me trazer o verso

no instante em que adormeço

como o açoite.”

Lara Valentina Pozzobon da Costa,USO INTERNO, 7Letras,2016

… tem tanto e tanto neste livro que eu nado. Um texto, e o subtexto.

” elas não sabem, mas o subtexto vem junto e empurra as palavras mais para o lado, mais para o meio ou para a borda do sentido que elas deram para a fala

elas pensam que dizem o que pensam mas o subtexto vem no tom, nem sempre tão flagrante quanto o do sonho mas continuamente distorcendo e fazendo deslizar as intenções [ … ]  em meio a todos os textos e subtextos emaranhados  todas as palavras desarmadas e despidas de receios tolos uma chance um encontro para ficar [ … ] ” (p.22-23)

Lara Valentina Pozzobon da Costa,USO INTERNO, 7Letras,2016

Um comentário sobre “Lara Valentina

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s