Andando na sombra

Alguns autores deixam marcas profundas. Interferem alimentam criam novos espaços. E participam assim das nossas vidas.

DORIS LESSING, a inesquecível. Presente. Viva. Posso encher toda a estante de livros, e não está completa.

Houve ainda um outro viúvo. A mulher morrera de repente e era opinião geral que devia se casar o quanto antes. Era uma tolice, porque o homem estava pulverizado pela dor e pelo choque.  Apaixonei-me por ele. Não muito, é verdade. Mas o suficiente para atirar fora o bom senso. Cheguei inclusive a me mudar para a casa dele em Chelsea, um lugarzinho impecável uma joia, com um lindo setter ruivo, morrendo de saudades de sua dona, e um armário cheio de roupas da morta. De novo estava sendo arrastada por uma contracorrente subterrânea, uma continuação daquela abulia pós-Clancy. Na verdade, foi o fim de alguma coisa, o fim da passividade. ” (p.334)

Andando na sombra Segundo Volume da Minha Autobiografia, 1949-1962. DORIS LESSING, Companhia das Letras, 1998.

Um comentário sobre “Andando na sombra

  1. Muito bommmmmmmm, alguns escritos deixam marcas mais profundas que outros… As vezes deixo mensagens outras vezes degusto só. As vezes compartilho, noutras guardo só pra mim. Mas permaneço atenta, isto é mais constante que nossas poucas visitas. nos encontramos no Pátio das Amoras.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s