não há espaço na pessoa

Em casa o abraço da certeza. Pequena saudade de afinidade que se pendura no olhar. Ninguém se importa com ninguém. Não há espaço na pessoa. Engodo de gentileza e sorriso. Afinidade é interior, talvez obscura, mas pode ser também iluminada.

A cada um a costura correta. Ponto cruz aberto bainha feita à máquina, ou feita à mão. Fendas bolsos pregas. Violão piano acordeon.  Céu cinzento vento que não cala, e se agita e grita primavera. Assusta.

O vendaval destelhou minha casa. Fecho a porta quando a janela amanhece escancarada. As meninas estão certas e cinzentas.  Não pode ser sempre tecnicolor. Há um fio azul que segura o vermelho e o beterraba e o verde. Não sei com qual deles amarro meu desejo. Elizabeth M. B. Mattos – Torres, agosto de 2017

acordeon

2 comentários sobre “não há espaço na pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s