demoro a voltar

Não gosto de ir/viajar/sair porque demoro para voltar, e voltar importa.  Estas raízes arrancadas replantadas regadas estão velhas, cansadas. A paciência do começo, e do recomeço. A espera do definitivo … Do suspiro agarrado grudado. Do finalmente! Não encontro o outro pedaço, aquela metade tranquila perdi, … em algum lugar esquecida, amordaçada, amarrada, enterrada. Elizabeth M.B. Mattos – dezembro de 2017

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s