migalhas

Percebi então a verdade sobre todo o amor: é um absoluto, que tudo toma ou tudo perde. Os outros sentimentos, a compaixão, a ternura e assim por diante, existem apenas de forma periférica e pertencem às construções da sociedade e do hábito. Ela, porém – a austera Afrodite -, é pagã. Não toma para si nosso cérebro ou nossos instintos  –  mas nossos ossos.“(p.101)  Quarteto de Alexandria Justine – Lawrence Durrell

Em se tratando do intenso, relações se tornam frágeis como…, como o fogo de um palito de fósforo?, …não sei explicar, apenas frágeis, inconsistentes. O grande sentimento  não consegue esticar outros possíveis existentes sentimentos. Ou é isso, ou é aquilo. Se raiva ódio culpa existem, todos os outros sentidos desaparecem. A traição ou o desprezo engole sorriso, perdão, ou a benevolência. Importa o que chegou primeiro, o genuíno permanece / segue saltando… Esta caça ao amor é um movimento perdido: temos que reconhecer  a austera Afrodite entre tantas tentativas / buscas frustrantes.

… e cada rosto cada história tem um jogo particular, trágico, violento, belo. Qual importa? Tenho a sensação que não existe cura para a vida porque não se esconde/apaga a memória, nem a eternidade. E  a esquecida dor é chaga permanente. A boneca que não chegou no abraço, o beijo apressado, o boa noite escuro, a morte da mãe do Bambi na fogueira, o beliscão por baixo da mesa. Não esqueço o tal esquecimento. E se houve abandono, nunca mais… Não vou recuperar o perdido:  não sou o que penso ser, infelizmente. Interpreto o possível . Guardo enterro com raízes a dor, e ela volta / nasce / renasce e se faz mato outra vez. Pensar a vida seria atravessar/ desbravar uma floresta e este misterioso quintal pantanoso. Não há esconderijo possível. Um livro de memórias nunca será ele mesmo a verdade, posto que a verdade não existe / tem o olhar, nada mais. O arremedo, tentativa tendenciosa.  …, impressionismo, expressão da projeção: apenas palavras. Elizabeth M.B. Mattos – 9 de dezembro  de 2017 – Torres

caes caes caes

Foto de Luiza M. Domingues – Alagoas – 2017

 

 

 

 

4 comentários sobre “migalhas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s