apenas eu mesma posso modificar o que sou

Este problema interior tem um característica. Urgência e futuro. O problema é a crise existencial do que poderia, mas não foi resolvido. Aceitar a palavra em toda a sua interioridade, não como prática. Enfim, penso: independente de aceitar o resolvido, sem novas possibilidades, pode não resultar em crise, mas desespero. Isso expressa o desejo inconsciente de futuro. Futuro  =  Amor presente e inteiro. Desespero saber que não vai ser nunca = a crise. É problema quando sinto meu mundo inadequado, ou quando sou inadequada para ele. Algo me fere, agride, sinto dor. Estou doente. Desgovernada. Pedir que me perdoe? É imperdoável o desgoverno. Porta fechada. Exaustão física levada como defesa contra a hostilidade. Distorção do amor e da confiança.

Esta é a história das interdições do amor, das cartas duplas de um duplo momento de dúvida e medo que me paralisou. Elizabeth M.B. Mattos – junho de 2018 – Torres

prainha torres e amora

Foto de Ana Maria Vianna Moog – junho de 2018 – TORRES

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s