sem passado

Este dizer esparramado esquisito uma saudade. Nós dois sem passado. E eu não te reconheço. As cidades se reconhecem pelo andar, como as pessoas. O recém chegado deduz a vibração do movimento nas ruas. Entra no café para ler jornal e cartas, se cartas existem. Ainda que fosse apenas imaginação, não importa.  A vida passa lenta ao fazer do homem, homem. E eu passo a imaginar … Elizabeth M.B. Mattos – junho de 2018 –

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s