pedalar

Pedalar, voltar a ter segurança na bicicleta. Bicicletar, para substituir a caminhada a passos lentos feita pela lagoa. Uma amiga atravessa a cidade, vem lá da beira do rio Mampituba até a Lagoa do Violão pedalando, e na cesta o pão e o bolo para tomarmos chá. Corajosa. Segura. Sinto medo de me distrair, não olhar certo, desviar errado, sei lá o porquê, eu sinto medo de sair a pedalar. Procuro a coragem para seguir…, mas não vou. E a bicicleta guardada na garagem. Outra vez: tênis chapéu insegurança escabelada, mas controlada, lá vou eu na caminhada igual. Os mesmos passos, as mesmas voltas, distraída. A pensar em teclar, teclar e seguir bordando no AMORAS. Igual a todo dia, hoje com sol. Inventei um/uma personagem para chamar de eu. Nela não coloquei vaidade, nem uma pontinha da ElizaBETH que eu fui. Sem Eliza. Sem Liza e sem Beth. Assim mesmo penso nos amigos amados, nas ruas de Petrópolis, na Tatuíra, e no João C. e na Luiza W., sentados ali perto, a nos ver fazer roda. Penso na princesa. E na rainha. Aniversário da SAPT: lembras daqueles bailes?  Penso na boate Marisco, nas barracas coloridas da Praia Grande, nas tardes na Guarita, no vôlei e no tênis de praia. No futebol, nos banhos de mar, e naquela caminhada pela areia em direção aos molhes, ao rio nas nossas manhãs de Praia Grande. Lembro do primeiro duas peças, nos biquínis, nas gincanas, e nossos embalos até meia-noite na SAPT. E penso que ainda vamos nos lembrar de outras coisas … Tão bom ficar a descrever e a pensar este tempo de sermos nós, jovens, meninos e confiantes, e ter crescido um perto do outro. Elizabeth M. B. Mattos – setembro de 2018 – Torres. Tudo que veio depois, casamento, filhos separações, netos é um D E P O I S diferente. A magia guardamos, enterramos naquela areia torrense. Somos aqueles grãos de areia. E de onde estivermos a Ilha dos Lobos, o mar nos pertence, e esta saudade também.

BICICLETAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA.jpg

2 comentários sobre “pedalar

  1. Eu adoro bicicleta, agora, nestes setenta anos tenho medo de andar assim na rua, meio aos carros. Nas calçadas é um abuso por causa das pessoas. Não temos a cultura da bicicleta, quem sabe na Holanda! Tulipas …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s