pássaros

Depois da vã imaginação sinto um forte tremor no coração como se estivesse em tua presença. (E todos os teus vestígios foram apagados, não tenho uma linha, nem a tênue possibilidade para saber se és ou não real.) Tive uma visão do Amor, do homem que certamente és. E de tua alegria preguiçosa. Tua vida nova, ou tua nova vida a porejar de paz… De longe acompanho teus passos alegres e teus pássaros voam pelo outono. Elizabeth M.B. Mattos – março em Torres de 201920140801_134947

Sim, hás de pensar que resvalo na voz do silêncio, outra vez atrapalhada. Eu me esforço para não correr ao teu encontro. Corro pela rodoviária como se atrasada fosse perder o último ônibus. E depois, eu me deixo ficar naquele café. Olho para todos os lados como se fosses me surpreender.

…aceito: nunca virás. Embarco no ônibus e me distraio pelo caminho. Será que foi / é real o teu nome? O que faço com histórias que saltam incomodadas? Liza, Eliza ou Beth, não. Elizabeth (sorrindo)

mesa preta com ibere camargo

 

Um comentário sobre “pássaros

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s