as mesmas ladainhas que se explicam

A vida mudou aos 48 anos. Eu estava em profunda depressão: minha segunda tentativa de ter uma vida  definitiva…, tranquila, para sempre…um casa com todas as implicações que pode trazer, terminavam. Não tinha mais cachorro, nem casa, nem jardim, nem árvores. minha filha não tinha mais pai. Não foi viuvez, mas abandono, o homem que eu pensava /imaginava/ apontava com caráter/ certezas/ sonhos, enfim, dignidade… demonstrava de todas as formas, com todas as palavras que eu havia cometido outro grande engano.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s