agosto gelado

Diz / repete mais uma vez o caminho atrapalhado, esboço ou desenho, amontoado de palavra de um agora inusitado. Elizabeth M.B. Mattos – agosto de 2019 – Torres

 

1.

 

Todos os dias é   =   a nenhum dia. Óbvio incerto. Particularidades? Suponho / acho / penso: somos iguais. Sublinhado fato. Identificação comezinha. Lugar / ponto /estação diferente, mas a mesma manteiga, o mesmo leite aguado ou não, o mesmo pão dormido. Ou saído do forno. As mesmas laranjas e as mesmas bananas. E lá vou tentar, outra vez, ser autobiográfica. Pedaço de montanha, outra de lagoa. Buganvílias, gramado, um cão. Natureza igual, aparência diferente. Sentimento, o mesmo. Classificação por conta de especialista. Desejo igual ao que desejas: somos iguais. Isso apraz. O começo, uma vontade. Nascida na rua Vitor Hugo 229, Petrópolis, Porto Alegre. Jardim jacarandá e quintal. Abraços e beijos na conta das mamadas, do fogo das lareiras, das risadas. Do silêncio festivo atrás da porta fechada, e do escuro do quarto: arrulhos latidos difusas vozes miados. Depois atravesso a calçada. Mergulho na piscina do Tênis Club, ou vou comprar balas no Bar Tupi. Telhados, outros quintais, bonecas de papel, tampas de garrafas, rolhas, azulejos em lascas, corda, bola.

 

  1. Amigos cuidam, incitam a escrever: para eles, palavras e aquela vontade toda de desnudar, ser aceita, ou voltar.

 

  1. Setenta anos com evidências. Alguém vai corrigir: setenta e dois em setembro. Setenta e três? Sou de 1946. Setembro.

 

  1. Amontoado confuso de emoções. E o Amoras, amor exigente galopa. Hoje dia gelado. Amanhece no gosto bonito do sol. Demorei a sair da cama. Quase oito horas. No verão volta inteira na lagoa. Inverno ponte e sol, o limite. Café preto. Lavo a louça da preguiça, deixo outra no balcão. Vou escrever. Lá vai a fumaça azul, como disse, o amigo. Pedra solta sinal voz e cheiro. Não te espanta, sigo tua palavra. E corro atrás de mim mesma para costurar minha sombra, como Peter, o menino que não queria crescer e vive na Terra do Nunca. Corro atrás. Persigo estórias e histórias. Elizabeth M.B. Mattos – agosto de 2019

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s