verdade bem grande

“Diego. É uma verdade, bem grande, que eu queria falar, nem dormir, nem ouvir, nem querer. Sinto – me encerrada, sem medo de sangue, sem tempo, nem magia, dentro do teu próprio medo, e dentro da tua grande angústia, o mesmo no ruído do teu coração. Toda essa loucura, se a ti perguntasse, sei que seria, para o teu silêncio, pura confusão. Peço – te violência, na desrazão, e tu me dás a graça, tua luz e calor. Gostaria de pintar – te, mas não há cores, por haver tantas, em minha confusão, a forma concreta  do eu grande amor. F. “(p.205)

Frida Kahlo O Diário – um auto-retrato íntimo

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s