Emily Elizabeth Dickinson

20200123_231717 (1)

Moro na possibilidade,

Idwel in Possibility –

Casa mais bela que a prosa,

A faire House than Prose

Com muito mais janelas

More numerous of Windows

E bem melhor, pelas portas

Superior – for Doors –

De aposentos inacessíveis,

Of Chambers as the Cedars –

Como são, para o olhar os  cedros,

Impregnable of Eye –

E tendo por forro perene

And for an Everlasting Roof

Os telhados do céu.

The Gambrels of the Sky – 

Visitantes, só os melhores;

Of Visitors – the fairest

Por ocupação, só isto:

For Occupation – This –

Abrir amplamente minhas mãos estreitas

The spreading wide my narrow Hands

Para agarrar o paraíso.

The gather Paradise. (p.45-46-47)

Poemas Escolhidos

LPM Pocket Plus Seleção, tradução, introdução e notas e Ivo Bender

20200123_231632 (1).jpg

Livros voltam, como  certas memórias de construção. Por que morar em Rio Pardo ou Santa Cruz do Sul? E Torres? Recomeçar em casa. Porto Alegre. Quanto tempo! Petrópolis outra vez, depois Independência, e Moinhos de Vento. Jardins floridos. O caminho, o tempo de seguir em frente / ou tirar tudo do lugar para brincar de azul, depois o amarelo que se transforma em verde. O contorno com carvão para fechar o branco em/com riscas cinzas. Uma experiência. E o definitivo.  Voltar a trabalhar nas escolas, no tempo, na esperança de  conseguir desenhar outra vez. Beth Mattos / janeiro de 2020 – Torres

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s