1983

 1983 – Porto Alegre

“Parece que o Homem, condicionado pelo inconsciente coletivo, encaminha-se para um fim inexorável.  Através dos tempos, inspirados visionários inculcaram no espírito do homem a idéia do apocalipse.  Meu trabalho é uma homenagem às mulheres que se deitam acorrentadas nas ruas do mundo para gorarem os ovos da morte, semeados pela terra.     Esta carta também é um grito e um gesto de solidariedade aos que dizem NÃO à prepotência, NÃO a arrogância do forte, NÃO ao holocausto.  Falo apenas em nome da vida. Não tive a intenção de ser original. De propósito, empreguei velhos símbolos, como a criação do homem de Miguel Ângelo.  Nesta hora que importa é ser claro, repetitivo, para ser compreendido por todos. “ Porto Alegre, 1983  –    IBERÊ CAMARGO

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s