cuidado

Recebi tua carta: obrigada. Desligo vozes da televisão. Fujo dos espinhos. Espinhos agravam. Cautela e cuidado: como são necessários! Tanto preciso de tua atenção! E não estás! Nem teu abraço: sinto falta, mas vou me acostumar acostumando. Obrigada pelas fotos. As coisas dentro de casa precisam ser feitas, então não interrompo. Depois um nada: uma esticada sesta. A limpeza do prazer. Busco flores e luz. Bom que choveu! E a temperatura, perigosamente, agradável. Um bom presente? Não sei. Não te exponhas. Não vás sentir frio. Não exagera em nada. Cuida de ti e do outro, da tua companheira, dos cães, dos verdes, das tuas diversões e da paciência. A sensação de guerra pesa assustadora, como um monstro feio. Chegaremos ao fim. Espero. Elizabeth M.B. Mattos – março de 2020 – Torres

PS Pensei não escrever. Uma trava interna, uma angústia fechada, um peso de chumbo. Vai passar! Eu sei. Então te manda apressada este bilhete. Que o correio chegue. Te gosto tanto!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s