Uma manta

Uma manta

Para o meu canto fiz manta

Bordada com fantasias

De antigas mitologias

Do calcanhar à garganta;

Exibiram sua beleza

Como se a tivesse feito.

Cancão, aceita o ocorrido:

Existe maior proeza

No andar despido. 

W.B. Yeats POEMAS tradução de Paulo Vizioli

A coat

I made my song a coat

Covered with embroideries

Out of old mythologies

From heel to throat;

But the fools caught it,

Wore it in the world’s eyes

As though they’ d wrougt it.

Song, let them take it,

For theres’s more entreprise

In walking naked

Do bordado

Enfeitei e justifiquei meu tempo “bordado de fantasias”. Dancei e pulei enquanto chorei, e ninguém percebeu. Nem tristeza ou dor. Tirei minha roupa  devagar para te abraçar e meu corpo estremeceu no andar despido de te amar. (Para JMCL)

Da vaidade

Tua vaidade em cachos coloridos, teus pés mimosos. E mãos inquietas a te estontear o caminho. Caminho fechado / proibido desta febre fresta de teu sorriso, Rose. Elizabeth M.B. Mattos – março de 2020- Torres

muro e casa 1

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s