Uma manta

Uma manta

Para o meu canto fiz manta

Bordada com fantasias

De antigas mitologias

Do calcanhar à garganta;

Exibiram sua beleza

Como se a tivesse feito.

Cancão, aceita o ocorrido:

Existe maior proeza

No andar despido. 

W.B. Yeats POEMAS tradução de Paulo Vizioli

A coat

I made my song a coat

Covered with embroideries

Out of old mythologies

From heel to throat;

But the fools caught it,

Wore it in the world’s eyes

As though they’ d wrougt it.

Song, let them take it,

For theres’s more entreprise

In walking naked

Do bordado

Enfeitei. Justifiquei o meu tempo: “bordado de fantasias”. Dancei. Pulei enquanto chorei, ninguém percebeu. Nem tristeza, nem dor. Tirei minha roupa  devagar para te abraçar, e, meu corpo estremeceu no andar despido de te amar. (Para JMCL)

Da vaidade

Tua vaidade em cachos coloridos, teus pés mimosos. Mãos inquietas. Caminho fechado. Proibido desta/nesta febre fresta de teu sorriso, Rose. Elizabeth M.B. Mattos – março de 2020- Torres

muro e casa 1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s