o sopro

image 2 interessante.jpgFarelos, fragmentos ou estranhezas.

Não estás em lugar nenhum. 

Será que ainda te reconheço?

O moço de olhos azuis, ou são verdes? Apressado, gelado. Eu te aqueço.
Abro o baú do tempo e retiro a manta que tua mãe tricotou.
Perdi o você depois que te conheci,
Nem sei por que cedi.
Elizabeth / Beth Mattos e penso nesta coisa complicada dos nomes F.H.T. Um nome, uma pessoa, outra, e depois ainda outra… Mudar na ventania, desaparecer no mar… Em abril de 2020 / Torres Lagoa do Violão sem frio, com epidemia a rondar.

2 comentários sobre “o sopro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s