os outros

Os outros, os mais dignos, ainda esperavam uma carta na penumbra da caridade pública, morrendo de fome, sobrevivendo de raiva, apodrecendo de velhos na refinada merda da glória. De modo que quando o Coronel Aureliano Buendia o convidou para promover uma conflagração mortal que arrasasse com todos os vestígios de um regime de corrupção e de  escândalos sustentado  pelo invasor estrangeiro, o Coronel Gerineldo Márquez  não pode reprimir um estremecimento de compaixão.

–Ai, Aureliano — suspirou –eu já sabia que você estava velho, mas só agora é que percebo que você está muito mais velho do que aparenta.” (p.218) Gabriel Garcia Marquez -15 edição – Cem anos de solidão

E eu ainda posso sentar para te escrever uma cara, ajustar as frustrações, te dar uo m amontoado de coragem para que venhas dormir aqui, e aqui ficar em quarentena. Passaríamos a mão sem falar. Depois ias contas ou ias ficar quieto espiando as minhas corridas doméstica.

Danada memória -lembrança que volta pulando assim mesmo depois de esquecida,  Gostar poderoso que grita, diz / canta e não sai de dentro de meu apartado aflito… Volta, lembro, tenho por ti tanta saudade e lembrança, tenho, ficou . Aflita….carta.

A minha caçula memória poderosa. Saudade apertada de alguém que veio do nada, das canchas, dos bailes, Isso pode? Não sei. De repente eu gosto. Gosto de cada palavra. Gosto de cada jogo e todo o sentimento me envolve, Beth Mattosvioletas 33333

 

.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s