existência desamarrada a surpreender

Quero saber / saber deste homem/menino; descobrir quem és, sem me importar com certeza ou ciência, certo ou errado… Sabes bem de ti mesmo, sabes o suficiente. Não precisas convencer ninguém, nem a nós dois, nem a ti mesmo. Assim, deste jeito que és, como és. Engolimos problemas, complicações, e seguimos tu e eu, amorosos. Ignorância é Paraiso. Por que este interesse em autoconsciência e lucidez? Sem penitência o amor, nem consequência ou consciência. Pareces apressado, estourado, mas não és.  Mistura magias: as negras e as boas magias: feiticeiro inconsequente. Ativo. Não te atormentes com o que não deu certo / ou com o que podia ser diferente…  És/ou tentas ser um indivíduo de lucidez (citação de Amiel) “indivíduo de lucidez parece um feiticeiro” … Tua vida faz círculos, em algum deles te sentes preso. Isso alucina. Aquieta. Depois de adormecer, depois de acordar, depois de cair, e, depois de levantar…, de cair e levantar, tu acordas, dás um passo, e pronto, saíste do círculo. Consegues. Estás no outro tempo: no outro círculo, o olímpico…Como feiticeira eu te denomino herói.  Aquele que vence um dia depois de outro e depois se arrepende, mas ama o amor, amo o dia tanto quanto o entardecer e a noite porque nos abraçamos enlouquecidos. Do jeito que sou/do jeito que fiquei abarrotada de feitiço, felicidade. Seduz. Desespera, e espera. És tu meu amado. Senta e fecha os olhos, um segundo. E já és outra vez menino. Difícil ficar homem, adolescer, também envelhecer. Envelhecer dói como crescer, depois, ora, depois nos beijamos quietos. Divino isso. Esta receita das misturas tu mesmo assinas. Registras e vendemos em vidrinhos reaproveitáveis: álcool, desinfetante, detergente, amor, raiva e desejo. Volto ao que escreves, aos teus sentires. Pontual. Verdadeiro. Eu te abraço. Teu mistério, meu objetivo. Eu apreendo. A passo pequeno, chego onde estás.  Ao teu lado sou eu. Comigo és tu. E estás descalço. Sem correções meu querido, nem conhecimento de defeitos e muito menos de qualidades. Joga fora o excesso, fica a existência melhor quando descuidada. Estoura os balões, não quero aprender nada. Sem correções. Adoro o teu, o meu conhecimento incompleto de qualidades ou defeitos. Gosto da existência desamarrada a surpreender. Sem manual. Esquece arestas. Pelas frestas entra vento, entra calor, pelas frestas entra o teu amor. Conta outra vez e mais outras aquelas histórias loucas de marcar amor em cada mesa, em cada tapete esticado, na areia da praia…, na loucura de querer sem poder ter, mas igual livre/rei/ com luz e sol. Calor da tua pele. Deixa de questionar, segue voluntarioso, temperamental e amoroso. Elizabeth M.B. Mattos – setembro de 2020 – Torres

“Primeira prensa é apenas porque o azeite não foi fervido. Prensado a frio. E não coado. Persistem impurezas. Aprendi a gostar, quando conheci. Mas não se encontra fácil. Correto quanto ao destino: nunca para cozinhar.” […]

“Por fim, saindo da cozinha, além destes dois, o ‘desde’, em quantidade certa, é genial para algumas coisas específicas. Estes últimos dias, sobretudo os últimos, tem sido de mergulhos…, não sei exatamente onde…, mas perto do convencimento de que nossas “convicções” não são tão convincentes, para os outros, e nem para si próprio. Sempre é tempo de ser melhor, o que exige um crescente e permanente autoconhecimento, do qual careço muito. A idade e velhice podem ser comparadas os copos, com certa quantidade de líquido. Ângulos diferentes para a mesma quantidade de líquido: meio…, cheio ou vazio. Nós nos fazemos velhos, ou nós nos fazemos jovens. No pensar, no vestir, no comportar-se, enfim em tudo. Uma opção do ser humano. A beleza da velhice é incomparavelmente igual, ‘estranho não, incomparável e igual?’ à beleza da juventude. Explorá-la permanentemente deve ser mistério e objetivo. Não de sofrimento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s