Charles Baudelaire

[86] “Quanto mais queremos, melhor queremos. /Quanto mais trabalhamos, melhor trabalhamos e mais queremos trabalhar. Quanto mais produzimos, mais fecundos nos tornamos.

Após uma orgia, nos sentimos mais sós, mais abandonados.

Tanto no aspecto moral quanto no físico, tive sempre a sensação do abismo, não apenas do abismo do sono, do desejo, do arrependimento, do remorso, do belo, da quantidade, etc.” (p.81) Charles Baudelaire MEU CORAÇÃO DESNUDADO Editora Autêntica 2009 – tradução Tomaz Tadeu

Quanto mais leio, mais estranhada fico. Abismo enorme entre a vida: ser manhã ou noite. Necessidade dolorida rasgada de conhecer, sem ter, minimamente, a possibilidade de fazer acontecer um dia infinito, uma noite permanente, um verdadeiro acontecer (nebuloso dia, iluminada noite). “Tenho a sensação de estar capenga”. Estou/sou dolorida, moída pelo desejo. Elizabeth M.B. Mattos – outubro de 2020 – Torres com vontade de aquarelar como a Marina, minha sobrinha. O talento precisa ser regado com mimos e trabalho, e coragem… Baudelaire explica muito bem, quanto mais, mais, mais, mais é possível.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s