Como pode o impossível ser um destino?

Uma despedida inesperada espicaça, amortece, ou se dilui… Gosto ardido, inesperado. O poder de ser como sou/estou salga o tempo. A exaustão dilui o olhar, e o tempo de te ver passa: raio, ou trovão, chuva de verão. Não sei. Estou atrapalhada/confusa. Sou eu a me perder! Ah! Como preciso da tua coragem para me alertar dos meus incertos temores. Elizabeth M.B. Mattos – dezembro de 2020 – Torres

2 comentários sobre “Como pode o impossível ser um destino?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s