entre ele e mim amor e resistência intensidade insuportável

assumir que o pensamento nunca é dissociável das violentas peripécias do amor” Alain Badiou e Nicolas Troung

te amar / uma experiência pelo prisma da diferença “o mundo praticado, vivenciado, examinado e vivenciado a partir da diferença e não da identidade.” amo te amar nesta incerteza perdida, sem evidência, nem certeza, nem tato. Inventamos este nosso querer fugindo negando, escondendo e por isso nosso: “o amor é uma reinvenção da vida / O amor inventa um jeito de durar ao longo da vida“.

despir-se

entregar o próprio corpo

ficar nu para o outro

renunciar ao pudor

por que eu não seria justa comigo? por que eu não me posiciono como principal, por que te quero sem me quereres? por que sou imaginação, não sou eu? (as perguntas se desenhariam na página inteira, acotovelando -se confusas,

as armadilhas de ficar / será que é amor se amarrar nas surpresas de um filho / objetivo futuro definido? O outro me entrega o fato consumido do sonho desmaiado: se lhe dou o filho, o amor é bom e eterno / amor de negócio/troca de acertos, “papai, posso ficar”? Estacionar?

Se tu me amas, se eu te amo renunciamos

matemática ativa / estranhadas somas / subtrações / divisões, mas a multiplicação deve entrar neste céu. Céus! Já não é amor, mas um negócio. Beth Mattos – maio de 2021 – Torres

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s