debruçada…

não fiques a me olhar assim,

depois dos meus esforços, voltas e cuidados,

eu me surpreendo, e tu te surpreendes

escolhi a tua mão…

a história de morrer, e do pecado…

existem ausências “profundas” e afogadas

na verdade não são ausências:

curiosos desvios, permanente olhar.

memórias inquietas / encontros,

beijo, abraço e perfume,

não desaparecem,

tens razão: a Gabriela do Jorge Amado: sexo desejo e colorido:

todos na mesma orgia, no mesmo prazer

ninguém controla…

ser livre pode ser mais uma batalha de guerra permanente.

a fidelidade, genuína,

tudo o mais, apenas um jogo. Beth Mattos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s