da neurose

A neurose não repudia a realidade, apenas a ignora; a psicose a repudia e tenta substituí-la.” E Freud acrescenta que um comportamento é ‘sadio’ se “ele combina certas características de ambas as reações – se repudia a realidade tão pouco quanto a neurose, mas se depois se esforça, como faz uma psicose, por efetuar uma alteração dessa realidade.” Sigmund Freud A perda da realidade na neurose e na psicose

O mundo fantasmático (o imaginário) tem um papel proeminente nos dois casos: no primeiro, ele utiliza um fragmento da realidade, ao qual dá um sentindo simbólico; no segundo, é o simbólico do mundo fantasmagórico que se torna real.“(p.167) Freud R. Major e C. Talagrand

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s