como fantasmas

” Ela falava com a voz mansa de uma pessoa a quem um desastre amorteceu a voz. Ele sentia-se invadido não de tristeza, remorso ou pena, mas de espanto. Como é possível? um dia uma pessoa é jovem, se casa, e um outro dia cai em si e a vida passou como um sonho. Olharam-se curiosamente, pensando em como era possível que se tivessem perdido um ao outro, vivendo na mesma casa tantos anos e circulando pelos corredores como fantasmas.” (p.126) Walker Percy A Segunda Vinda Editora Francisco Alves

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s