sem dizer…

a maneira mais profunda de se penetrar em um ser é ainda escutando a sua voz, entender/compreender som/a palavra, exatamente, como é dita/feita, a nota

é preciso escutar com os olhos

a cada pessoa, para cada um existe uma certa maneira de se exprimir/dizer, de estabelecer a ligação entre a fala/ o som de quem diz e a pessoa a quem/com quem ela fala – não é fácil chegar no outro (a tal ponte larga/estreita/a balançar ou firme)

deve-se fazer um esforço para ouvir, fazer silêncio dentro de si próprio para ouvir

jamais colocar no outro coisas suas, ou então, inconscientemente, nutrir o outro com substância sua, como se o nutrisse de sua própria carne, o que não é a mesma coisa do que nutrir de sua própria e pequena personalidade,

ou desses tiques que nos tornam nós mesmos…, e, então, não o escuto, não posso socorrer, estamos, ainda ali a nos escutar…

o tal eterno monólogo interior que se faz diálogo porque existe o outro, o que narra/diz/fala, mas eu não escuto, eu escuto apenas o som de minha própria voz, na voz dele.

e não escutar quando alguém quer dizer dimensiona o tamanho da solidão! Ufa! Não sei se consegui vou voltar…, amanhã. Elizabeth M.B. Mattos – janeiro de 2022 – Torres

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s