romance

“Ler um romance depois de ouvir as sonatas para violoncelo de Bach é como virar as costas ao pôr do sol e descer a um porão.” (p.382) Kar Ove O Fim

Sem a música, sem as sonatas, sem o piano, sem a doçura estamos todos no porão, com um rasgo de luz, ou completamente no escuro. A gentileza e a doçura salva, nos permite subir as escadas, mas o silêncio nem sempre explica/esclarece, corretamente, a inversão da verdade / a representação. A inverdade e o desconhecimento de coração, de saber quem sou eu, complica, complica a sobrevivência e tropeçamos na própria sombra. Agimos como fantoches, embevecidos pelo outro. Queremos subir o Everest, mas estamos no porão. E sequer temos um nome… Elizabeth M.B. Mattos – março de 2022 – Torres

2 comentários sobre “romance

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s