pensamento

o pensamento viaja / se desloca tão rebelde / escapa e corre de um lado para outro: é preciso amarrar as ideias e fazê-las aquietar. Sem este ‘puxão’ à realidade fico esticando a fala numa explicação interminável que nada diz / não diz nada porque o interlocutor está lá ele, como eu, fechado nos seus pensamentos, não escuta. E tudo é absoluto. Cada um de nós empurra a vida como ela se apresenta: hoje consegui fazer a poda das buganvílias / chegar ao médico, não até a manicure., conseguir tudo, não é fácil. Sinto as costas e os ossos! Talvez alterar alguma coisa. Esfregar mais vezes o chão, abaixar menos, não passar as roupas com o ferro. Não virar a cabeça, dormir mais. Não sei. Pensar menos e aceitar que não virás me visitar. Talvez em vinte dias. O que farei então? Importa? Elizabeth M.B. Mattos – julho de 2022 – Torres

Os pensamentos de Vanja talvez fossem pequenos e próximos, mas deviam preenchê-la tanto quanto os meus pensamentos me preenchiam. Deviam ser tão importantes para ela quanto os meus pensamentos eram para mim. Se fosse assim o importante a respeito dos pensamentos não seria o tanto que traziam de compreensão, o conteúdo objetivo, mas a interação que tinham com os sentimentos, com os sentidos,, com a consciência. Tudo aquilo que estava ligado ao sentimento de um eu. Então por que pensar durante tanto tempo, e por que medir-se em função dos pensamentos? inteligentes, não inteligentes, brilhantes, não brilhantes?” (p.810 Karl Ove Knausgard Minha Luta 6O Fim

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s