ORHAN PAMUK

“O escritor é uma pessoa que passa anos tentando descobrir com paciência um segundo ser dentro de si, e o mundo que o faz ser quem é: falo de escrever, o que primeiro me vem à mente não é um romance, um poema ou a tradição literária, mas uma pessoa que fecha a porta, senta-se diante da mesa, e sozinha, volta-se para dentro; cercada pelas sombras, constrói um mundo novo com as palavras. […] Enquanto escreve, pode tomar chá ou café, ou fumar. De vez em quando, pode se levantar e olhar pela janela as crianças que brincam na rua, e se tiver sorte, contemplar algumas árvores e uma bela vista, ou apenas topar com uma parede escura. […] Escrever é transformar em palavras esse olhar para dentro, estudar o mundo para o qual a pessoa se transporta quando se recolhe em si mesma – com paciência, obstinação e alegria. […] ano após ano, sempre com paciência e esperança -, criamos novos mundos.” (p.12-14) Orphan Pamuk A maleta do meu pai

Escrever: uma obstinação desordenada. Indisciplinada pessoa eu sou, então, eu vou teclando, não sei se isso é escrever. Queria ser diferente, queria perseguir/seguir o foco, escrever de verdade. Não consigo, nem vou conseguir entregar ou colocar na maleta cadernos e tentativas. Nem levar os meus sonhos até eles, os meus filhos. Ficarão espalhados, ou perdidos. Achados (risos) entre as panelas coloridas, pesadas, lindas! Elas pintam/escrevem o fogão. Chaleira amarela /grande! Amarelo tão claro! tão claro! Agora apita! Pode ser bom! (risos) Céus! Poderia ter ser vermelha, porque comprei amarela ovo? Tão despropósito, vontade de tentar outra! Estas compras às cegas, dedilhadas, surpreendem. Não. Vou tentar misturar outras cores ao fogão e voltarei a brincar de cozinhar, limpar a casa e arrumar, fazer chá ou café, sopa de legumes, carnes especiais. Vou acertar. Que meu filho me descubra eficiente e talentosa quando vier me visitar, e, as filhas me achem quase perfeita, (risos), sem errar na escolha do aspirador. E juntos possamos Brindar! Venham os netos! Vou cozinhar para todos! (risos) Parece que aguento! Acho que vou reler Meu nome é vermelho de ORPHAN PAMUK Elizabeth M.B. Mattos – julho de 2022 – Torres

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s